Faturamento do Windows cai 13% e prejudica resultados da Microsoft

Parcela da receita total gerada pelo sistema operacional foi de apenas 23% – o menor número desde o quarto trimestre do ano passado

Vendas fracas do Windows no último trimestre fizeram a divisão do sistema operacional responder pela segunda menor quota da receita total da Microsoft desde o terceiro trimestre de 2009 – o período anterior ao lançamento do Windows 7.

Ainda assim, um analista viu isso como uma coisa boa. “Nos últimos 10 anos eles pararam de depender de seu sistema operacional e se tornaram uma companhia diferente”, disse o analista principal da Moor Insights & Strategy, Patrick Moorhead. “A Microsoft é uma empresa de software comercial, não uma empresa de OS. E vejo isso como algo positivo.”

Os grupos Windows e Windows Live registraram vendas de 4,1 bilhões de dólares nos últimos três meses – encerrados em 30 de junho -, uma queda de 12,5% em relação ao mesmo período do ano anterior.

A receita foi reduzida por conta dos 540 milhões de dólares que a Microsoft vai precisar para cobrir o acordo de atualização iniciado no mês passado, o qual oferecerá aos compradores de novos PCs Windows 7 uma atualização para o Windows 8 por 15 dólares.

Mesmo sem essa dedução, a divisão do Windows ainda teria publicado uma diminuição em relação ao segundo trimestre de 2011. Nesse caso, a queda registrada teria sido bem menor que 1,2%.

Como tem sido por vários trimestres, a Microsoft culpou as baixas vendas de PCs para os resultados do Windows. A empresa estimou que as vendas mundiais de computadores ficaram estáveis ​​no trimestre, com aumento nas vendas do sistema corporativo em 1%, mas com queda nas vendas para os consumidores acima de 2%.

Esses números estavam de acordo com as estimativas da IDC e Gartner, que afirmaram no início deste mês que as vendas globais caíram 0,1%, em parte porque os consumidores têm desviado os gastos para tablets e smartphones – particularmente iPad e celulares Android.

O CFO da Microsoft, Peter Klein, defendeu que o Windows 8 vai impulsionar a divisão do Windows, mas disse não esperar por grandes alterações para o próximo trimestre, a menos que as vendas de PCs de repente aumentem.

“Excluindo o impacto dos adiamentos associados à oferta de atualização do Windows e de pré-venda do Windows para OEM, esperamos que as receitas aumentem ligeiramente no trimestre com o mercado de PCs “, disse Klein, durante conferência de lucros da empresa com analistas da Wall Street, na quinta-feira (19/7).

A parcela da receita total da empresa de 18,1 bilhões dólares gerados pelo Windows foi de apenas 23% – o menor número desde o quarto trimestre de 2011, quando a divisão contabilizou 22,7% de todas as vendas.

O menor percentual da receita reservado pelo Windows nos últimos quatro anos foi de 20,3% no terceiro trimestre de 2009, o trecho de três meses que precederam o lançamento do Windows popular 7.

Há um ano, o Windows contabilizou 27,3% de toda a receita da Microsoft.

Os números do terceiro trimestre para o Windows serão piores ainda, por conta de adiamentos de receitas adicionais que a Microsoft terá, relacionado com a oferta de atualização do Windows.

“No primeiro trimestre do nosso ano fiscal, esperamos adiar de 1 bilhão a 1,2 bilhões de dólares com a oferta de atualização do Windows e de pré-vendas do Windows 8 para OEMs antes de ser liberado ao público geral”, disse Klein.

Fonte: IDG NOW!

Share
Esta entrada foi publicada em Institucional. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta